A Psicomotricidade na Clínica: O B.A.B.A do Psicomotricista

A Psicomotricidade na Clínica: O B.A.B.A do Psicomotricista

O acompanhamento psicomotor clínico de uma criança envolve uma abordagem holística, considerando os aspectos motores, emocionais e cognitivos. A Psicomotricidade Clínica visa promover o desenvolvimento global da criança, melhorando suas habilidades motoras, emocionais e sociais. Aqui estão os passos comuns no contexto de acompanhamento psicomotor:

O B.A.B.A do Psicomotricista (Avaliação)

  1. Anamnese e Avaliação Inicial:
    • Entrevista com os Pais/Responsáveis: Obtenção de informações sobre o histórico médico, desenvolvimento motor e comportamento da criança, o porquê consultar?
    • Observação Inicial: Avaliação das capacidades motoras, posturais e comportamentais da criança.
  2. Objetivos e Planejamento:
    • Definição de Objetivos: Com base na anamnese e avaliação, estabelecimento de metas específicas para o acompanhamento.
    • Desenvolvimento de um Plano de Intervenção: Elaboração de estratégias e atividades para atingir os objetivos propostos.

A Parte Prática (Sessões)

  1. Sessões de Intervenção Psicomotora:
    • Atividades Motoras: Realização de exercícios e jogos que visam desenvolver as habilidades motoras e a coordenação da criança conforme o objetivo procurado.
    • Expressão Corporal e Criatividade: Estímulo à expressão emocional e à criatividade por meio de atividades que envolvem o movimento.
    • Intervenção Psicossocial: Exploração das emoções e do comportamento social da criança durante as atividades.
  2. Observação Contínua:
    • Acompanhamento do Progresso: Monitoramento regular do desenvolvimento da criança em relação aos objetivos estabelecidos (via ficha de observação clínica)
    • Observação do Comportamento Não Verbal: Atenção à linguagem corporal, gestos e expressões faciais como formas de compreender as emoções da criança.

Parentalidade e Restituição

  1. Interação com os Pais/Responsáveis:
    • Feedback e Comunicação: Compartilhamento de observações e progresso com os pais/responsáveis. Saber o que compartilhar é necessário, pois nem tudo sera bem acolhido!
    • Orientações para Atividades em Casa: Sugestão de atividades para reforçar o desenvolvimento psicomotor em casa (conforma ficha concelho).
  2. Adaptação do Plano de Intervenção:
    • Ajustes Necessários: Modificação do plano de intervenção conforme o progresso da criança e as mudanças nas necessidades identificadas (resultados em 6 meses máximo de clínica terão que ser observados obrigatoriamente).

Relatórios e Aliança Terapêutica

  1. Trabalho Interdisciplinar:
    • Colaboração com Outros Profissionais: Integração com profissionais de saúde, como psicólogos, terapeutas ocupacionais e fisioterapeutas, para abordagens mais abrangentes.
  2. Avaliação Final e Encaminhamentos:
    • Avaliação do Cumprimento dos Objetivos: Verificação se os objetivos foram alcançados etc…
    • Discussão de Encaminhamentos Futuros: Exploração de possíveis encaminhamentos para a continuidade do desenvolvimento da criança. Centragem conforme a evolução psicomotora da pessoa.

Conclusão

O acompanhamento psicomotor clínico é uma jornada dinâmica e adaptativa, focada no progresso contínuo da criança. A comunicação aberta e colaborativa entre os profissionais, pais e a própria criança desempenham um papel fundamental no sucesso desse processo.

Leonardo Leblond Miranda é um psicomotricista brasileiro, independente de qualquer formação ou órgão brasileiro associativo de psicomotricidade, que trabalha na França como psicomotricista clínico, professor em diversas universidades e cursos de Mestrado em Psicomotricidade, formador em outras abordagens sensoriais.

Você pode, a partir de agora, entrar no grupo facebook : A Psicomotricidade para Todas as Idades e acompanhar os meus artigos, vídeos e arquivos.

Agradeço por essa leitura,

Leonardo Leblond Miranda

Laisser un commentaire

Votre adresse e-mail ne sera pas publiée. Les champs obligatoires sont indiqués avec *